12 de novembro de 2013

The Lizard King




Dei de caras com a notícia aqui. Captou de imediato a minha atenção por ser um velho fã dos The Doors e, particularmente de Jim Morrison. Tanto assim é que, noutra vida, obriguei um actual pivot de TV a tirar uma foto em Père Lachaise, Paris, ao túmulo do senhor, e que eu visitara pouco tempo antes, sem que tivesse registado o momento. Para os curiosos, o jornalista cumpriu com o meu pedido.

Se a notícia nada tem de extraordinário e é somente um apontamento curioso, não posso deixar passar a ironia de o animal em questão esteja, qual Jim Morrison, extinto. É a ciência a brincar com o quotidiano de uma forma despreocupada e que lhe dá uma certa graça. Eu aprovo.

Aprovo igualmente que isto passe a ser prática corrente. Nomeemos animais extintos, com nomes de pessoas extintas. A este chamaram-lhe Barbaturex Morrisoni. No que toca à minha expectativa pessoal, ando danado para que descubram algum bicho e lhe chamem Cornudus Passus Coelhidis.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A bem da nação, o teu comentário fica a aguardar moderação do Lápis Azul.