30 de dezembro de 2013

Mais um!

E é já daqui a dois dias.

E é sempre a somar. Por mim já tinha parado há muito com esta contagem, mas a data e os cabelos brancos fazem questão de mo lembrar. Isto de ir ficando mais velho afecta-me. E por mais consolo que tente arranjar junto dos que me são próximos e por mais adeptos que tente trazer para a minha causa não há mesmo volta a dar. Dizem eles que não existe forma de fazer parar o tempo, a não ser para o Manoel de Oliveira. Tento conformar-me, mas não consigo. Se estes gajos arranjam cura para tudo, porque não arranjam cura para isto?

Uns procuram incentivar-me com a ideia de que quanto mais velho melhor. Dizem-me que a idade traz experiência e conhecimento. OK, trará. Mas também traz artrites e artroses e Alzheimer e outras coisas ruins. Outros, mais terrenos e materialistas falam-me de prendas. Eu respondo: Quais? Isso também se perde com a idade! Curiosamente sobre isso tenho uma história aqui atravessada que hoje vou partilhar. Cá vai disto:

Trabalhei 8 anos numa empresa onde, maioritariamente, fui feliz e aprendi muito. Como acontece em muitos outros sítios, a malta não deixa passar em claro o aniversário das pessoas e realiza um peditório para se dar um presente ao visado que depois alguém se encarrega de comprar. No meu caso pessoal e logo desde o ano 1 ficou com essa tarefa alguém que me era mais próximo e assim permaneceu durante todos os outros aniversários que por lá comemorei. O lógico de ser alguém próximo a escolher uma prenda para outra é o conhecimento que se tem dessa outra. E se no primeiro ano se entende que não se conheça lá muito bem os gostos ou as tendências de alguém com quem se convive há meio ano, daí em diante já não se explica tão bem porque é que se continua a oferecer algo que não tem nada a ver com a pessoa. Ou então quer-se à viva força converter essa pessoa aos gostos de quem oferece, digo eu.

Já estou a gastar com este parágrafo mais do que o previsto no inicio, mas uma palavra leva a outra e se calhar precisava mesmo de purgar esta sensação amarga que carreguei comigo a cada aniversário passado. E por isso mesmo vou continuar. Pausa para o copo de água e seguindo:

Ora durante 6 anos recebi ofertas compradas numa conhecida marca de motivos náuticos. Quem me conhece sabe que eu não sou esse gajo. Aliás quem não me conhece, basta olhar para mim e facilmente chega também a essa conclusão. No ano 7, se calhar por dar menos trabalho, foi-me entregue o presente em dinheiro, que tratei de converter em algo de que realmente gostava e no 8º e último ano arranjou-se uma solução parecida, mas sob controlo da pessoa em questão não fosse eu fazer uma avaria qualquer.

Porque é que isto mexe tanto comigo? Respondo perguntando: Como é que alguém que trabalha contigo durante tanto tempo e numa colaboração tão estreita não te conhece minimamente? Ou ainda uma outra pergunta: Será que isso é revelador de falta de conhecimento ou falta de preocupação ou de esforço em realmente agradar? É que eu vi essa mesma pessoa perder bem mais tempo e ser bem mais cautelosa com pessoas que, à primeira vista, seriam bem mais afastadas do que eu. Ou então não e andei enganado.

Mas já chega disto que já me cheira a outra coisa. E se a mim me cansa a vocês pior ainda.

Comecei por vos dizer que envelhecer é tramado. E se calhar o que me saiu pela caneta (e de seguida passado a teclas), é um dos efeitos desse processo. A tal rabugice ou rezinguice, associadas aos pessoal mais velho.

Não devo voltar ao blogue no decorrer deste ano e por isso ficam aqui já os meus votos de boas entradas no ano de 2014. Até lá!


27 de dezembro de 2013

Podemos falar a sério?

Agora que muita água já correu debaixo do moinho, julgo ter chegado a altura de verter aqui umas quantas coisas que andavam guardadas na minha cabeça e também num caderno preto que me acompanha muitas das vezes. Sempre ouvi dizer que não se deve falar no calor dos acontecimentos sob pena de nos espetarmos ao comprido. Eu, por via da minha natureza inflamada, sempre driblei essa regra e largava petróleo na maior parte das fogueiras com que me deparava. Não há hipótese. Sou esse tipo de gajo. Desta vez até que me portei bem e resolvi seguir o conselho até acabar por me esquecer.

Hoje, por questões que nada têm a ver com isto, agarrei no tal caderno preto e descobri uma nota de apontamento aí registada no inicio do ano que agora temina. Lá diz o seguinte:

É revoltante e até injusto ver os brinquedos bons entregues a mãos inábeis. A sabedoria popular fala em dar nozes a quem não tem dentes. Aqui no pedaço em que me movimento dá ideia de que só quem fala mais alto e em bicos dos pés é que se coloca em posição de se fazer notar. Até podes ser aquele que mais aptidão tem para o uso do brinquedo, mas se fores silencioso e baixito, ficas destinado a arrumar a casa depois da brincadeira dos outros. Volto a usar a voz do povo, sempre sábia, para definir este estado das coisas: Mais vale sê-lo que parecê-lo. Ou talvez o contrário disto se adeque melhor aqui.

Mas isso não me consola mesmo nada. A incompetência é recompensada e o melhor show-off premiado. Os que se remetem ao papel de participantes passivos arriscam-se a ser banidos. Um não-alinhado é algo que ninguém quer ter nas suas fileiras e necessita ser eliminado.
Em tempos escrevi que a nossa consciência é a nossa melhor arma de censura. E acrescento: Se assim não fosse seria impossível viver determinados quadros da vida.

Apeteceu-me deixar isto aqui hoje. Vai haver quem me entenda. Vai haver quem me entenda, mas que vai fazer que não. E vai haver quem me entenda e continue a falar alto e em bicos dos pés.

Desejo para 2014

Para 2014 quero:

Que rapidamente chegue a ver se este 2013 se vai embora de vez para nunca mais voltar!

(talvez vos gore as expectativas, mas apeteceu-me)

26 de dezembro de 2013

Going Youtube

A pedido de malta dos states, de exilados sírios via Angola, Talibans de Pampilhosa da Serra e de outras minorias étnicas, resolvi carregar os resumos da bola dos putos também no Youtube. É só aceder ao meu canal. Para quem não sabe esta menina explica como é:


Depois é só fazer a pesquisa por Manuel Morgado. Não se deixem enganar porque isso é nome que cresce como erva daninha. Por isso procurem este aqui:


... E subscrevam o canal! Se quiserem fazê-lo desde já é só clicar aqui mesmo.

23 de dezembro de 2013

Espírito de Natal

O meu espírito natalício nunca foi dos mais apurados. Talvez só tenha estado no ponto mesmo quando era miúdo e ainda tinha aquela ilusão de receber algo diferente do que recebia durante o resto do ano. Até porque essa era mesmo a única hipótese de vir a acontecer. A minha família sempre foi modesta e de fracos recursos e isso até no Natal se reflectia. Depois havia ainda a questão de fazer anos durante a quadra. Por norma, uma prenda um pouco melhor significava isso mesmo: Uma prenda. Não uma de Natal e outra de anos.

Não me estou a queixar. Não era um puto miserável, bem pelo contrário. Tive uma infância e uma adolescência bem porreiras. Portanto também não terá sido isso que tratou de me desviar dessa onda festiva. O que é certo é que se já não era muito chegado à data pior ficou há dois anos quando vi partir o meu pai uma semana antes. Sem ele falta sempre alguém na algazarra que a minha irmã mais velha faz, logo seguida pelo meu tio (sem ofensa para os dois de quem gosto muito).

Isto apenas para dizer que não é fácil verem-me elaborar grandes votos de Bom Natal e etc e tal e distribuí-los pelos meus amigos verdadeiros e pelos virtuais. Também não é minha intenção condenar quem o faz e vive o Natal de outra maneira. Bem pelo contrário. Acho que é um bom motivo para que, nem que seja só nessa altura, as famílias se aproximem.

Este Natal será ainda mais esquisito porque, pela primeira vez desde que comecei a produzir para mim, será dobrado sem que esteja a trabalhar. Se quiser brincar um pouco com isso, posso dizer que pelo menos não tive de me preocupar com prendas de amigos secretos. Mas se quiser ser sério tenho que dizer que me falta muita coisa este ano.

Bom. Como não quero ser apanhado pelo engarrafamento electrónico dos próximos dias, fica desde hoje expresso o meu desejo de que esta quadra vá ao encontro das vossas expectativas.

Um Bom Natal e sejam felizes.

20 de dezembro de 2013

Já lá mora

Demorou mas já está! A partir de agora no Meo Kanal 807330, o vídeo do jogo contra o Ericeirense, terra do marisco e de outras coisas mais que agora não me lembro.



É bom saber que tanta gente espera por ver estes resumos. Durante 15 dias fui confrontado por diversas pessoas, mormente na faixa etária entre os 12 e os 15 anos, para que me despachasse. E a coisa ficou de tal forma hostil que tive de contratar segurança particular. Provavelmente nem repararam por serem indivíduos bastante discretos.

Espero que gostem.

Podem aproveitar e deixar um like na página que a gerência agradece. E se forem mesmo malta porreira, podem igualmente adicionar o canal aos vossos favoritos.

13 de dezembro de 2013

Jogo na Ericeira

Importa dizer que o resumo do jogo do fim de semana passado, que opôs a nossa equipa à do Ericeirense, talvez só vá para o 807330 do Meo durante a próxima semana. Só vos estou a alertar porque gosto muito de vocês e não quero sentir-vos tristes. 

Contudo não é motivo para que não vão na mesma ver ou rever o canal. Acho até que nem deviam sair de casa de manhã sem o fazer, mas isso sou apenas eu a falar.

Agora vou ter de vos deixar aqui sozinhos porque tenho que ir ali pôr cobro a uma luta de gatas que está a acontecer na minha janela.

12 de dezembro de 2013

Boas Maneiras

Fonte: Público


Da próxima vez que atenderem uma chamada no vosso telefone móvel, não se esqueçam de cumprimentar os senhores da NSA. E já agora também não desliguem sem se despedirem.

Notícia completa aqui.

11 de dezembro de 2013

Identificação, por favor!

Antes de mais quero apenas informar que não estou assíduo por estas bandas devido a uma manifesta falta de tempo. Só isso. Os que acharam logo que estava a atravessar um novo apagão, podem guardar as garrafas de champanhe.

Entretanto vi que tinha um comentário de um amigo que está nos States e que me faz um pedido. Eu respondo com outro: Quem és tu Ricardo?...

Eu conheço vários e não sei qual dos "meus" Ricardos é que anda por terras do Tio Sam. Por isso peço que deixes uma mensagem aqui ou no Facenice para que eu saiba quem és e, já agora, para saber novidades.

9 de dezembro de 2013

Um video sem ser de bola

Conforme dito aqui, coloquei no MEO Kanal o video que elaborei para o a 2ª Interfeira de Actividades Económicas, promovida pelo Futebol Clube de Alverca. Pelo menos não é sobre bola. Esse fica para o final da semana.

Se vos apetecer, digam qualquer coisa.

8 de dezembro de 2013

O primeiro

Na quinta feira passada foi-me proposto um desafio: Que fizesse uma espécie de promo para um evento que decorre precisamente este fim de semana.. Aceitei sem sequer medir aquilo em que me estava a meter. E eu passo a explicar o "aquilo em que me estava a meter".

Essa promo seria para entregar em pouco mais de 28 horas. Um pequeno pormenor para quem tem recursos e meios, uma montanha para quem tem uma handycam, uma máquina fotográfica e um computador. Como disse, não ponderei recursos e tempo e meti-me ao barulho. A partir do momento em que começa a contagem dessas 28 horas, 19 delas passei-as a captar imagens, a editá-las a pesquisar uma banda sonora, entre outras coisas inerentes ao processo, para um video de cerca de 5 minutos.

Fonte: FC Alverca

Conclusão: meti-me num desafio e pêras e posso agora dizer que, terminado e entregue apenas 2 horas antes da sua apresentação, foi das coisas que mais gozo me deu fazer nos últimos tempos. Como em tudo na vida, gostava de ter feito algumas coisas que não fiz e corrigido outras, mas dadas todas as condicionantes considero o resultado final bastante satisfatório.

Danos Colaterais: Uma gripalhada à moda antiga.

Assim que termine o evento, prometo colocar o resultado final no 807330 do Meo Kanal.

4 de dezembro de 2013

Entretanto no Olival

Fonte: A Bola online
É caso para dizer que este, mesmo a cair de maduro e cheio de maleitas, vai mais vezes aos treinos que o Ismailov que é bem mais novo e saudável.

3 de dezembro de 2013

Alguém merece?

A notícia é esta:

Fonte: Discodigital.sapo
Pode ser lida aqui

A minha reacção à notícia pode ser obtida aqui, carregando no botão azul.

2 de dezembro de 2013

Classificados

Compro estaleiro naval para desmantelar. Dou preferência a infraestruturas falidas e que já não produzam há muito tempo. É condição não negociável que esteja livre de qualquer empecilho, como por exemplo, funcionários de longo e curto prazo. Maquinaria é opcional, mas pagarei mais se tirarem de lá esse lixo. O espaço destina-se à lavagem de dinheiro e, por via disso, ficará votado ao abandono. Pago luvas em dinheiro e não em caixas de robalos ou fatos de treino. 

Propostas devem ser enviadas para este espaço.

1 de dezembro de 2013

Ex-Feriados

Está a chegar ao fim o dia em que se comemora o 1º de Dezembro de 1640, data da nossa maior cabazada aos espanhóis. Por ironia do destino, depois disso só um gajo de risco ao meio e com um sotaque a fugir para o castelhano conseguiu algo parecido, mas como era a brincar ninguém lhe deu grande importância.

Não sentiram na pele que deixou de ser feriado por ter calhado no Domingo. Mas já não é. E por mais que se durma num calhau deserto no meio do Atlântico, em jeito de mijadela para o poste, e por mais cagarras que se acariciem há por aí um gajo que teima em marcar auto-golos. Por má sina o do 1º de Dezembro é, outra vez, a favor de nuestros hermanos que, como diz o outro, é hermano e não amigo, porque a família não se escolhe.

Mas Primeiros Ministros escolhem-se.