31 de janeiro de 2014

Aviso




Existem mudanças a acontecer por aqui, mas nada que vos prejudique o acesso à leitura do maior blogue da Quinta do Olival do Pêgo. Apenas o estou a referi-lo, com alguma solenidade, para que não estranhem se algo de diferente vos aparecer aquando da vossa visita a este espaço.

Bom fim de semana!

27 de janeiro de 2014

Aos ultras das nossas bancadas

Desde há alguns anos que me habituei a seguir o meu filho onde quer que ele vá jogar futebol. Se o móbil é mesmo vê-lo em acção, à volta de cada jogo de existem outras coisas com as quais também aprendi a viver e a gostar. O principal será o convívio com os pais que, tal como eu, não perdem pitada da bola dos seus filhos. No caso particular da equipa do meu rapaz, o grosso do grupo dos pais vem já de há anos. Esporadicamente sai um para outras paragens e entram outros que são bem acolhidos e rapidamente se integram.

Tudo isto para dizer que um fim de semana sem esta rotina acaba por ser um pouco estranho. O corpo até reage mal ao facto de não apanhar chuva no lombo ou sol na mona, conforme a condição atmosférica. Foi exactamente o que aconteceu na semana que fechou ontem. Não houve jogo, quebrou-se o ciclo e, se pode até saber bem ficar sem fazer nada ao sábado à tarde, reza-se para que o próximo chegue rapidamente.

Mas depois há uma componente, que também fazendo parte do ritual, nunca consigo que me passe ao lado: as claques com laivos de radicalismo. E quando falo disto, falo de todos sem excepção. Sim, porque não somos santos de um lado e diabos do outro. Alturas houve em que, digamos, a claque (sempre muito curta), da nossa equipa era abrilhantada por alguns elementos de língua altamente solta ao piropo fácil a tudo o que corre dentro das quatro linhas. E, meus amigos, sejamos razoáveis. Aceito (e pratico), o piropo ao árbitro que deu uma fora da caixa. Se não se ofende ninguém também não vejo qual é o mal de discordar abertamente da decisão do apitador. O que eu não aceito mesmo é os que disparam em todas as direcções, miúdos incluído.

Ultimamente tenho visto muito disso. Malta que se esquece que está a assistir a uma partida de futebol onde evoluem miúdos da faixa etária 11/13 anos. E toca a xingar como se de homens feitos se tratassem. Esta época anda pródiga neste tipo de episódios e eu acabo por dar graças a um Deus qualquer (cada um que utilize o da sua devoção), por estar inserido num grupo de pessoas que têm a noção da realidade.

Aos que não têm deixo o apelo: Tenham um bocadinho de tento e de tino. Se nós dizemos, acerca do futebol profissional, aquele dos milhões, que se trata apenas de  um jogo, então pensem que muito mais isso é verdade quando toca a miúdos tão novos. E acrescento que é um jogo e acima de tudo é uma diversão que se deve estender às bancadas.

Está dado o recado.

23 de janeiro de 2014

Sad but true

Tu sabes que bateste no fundo, no que toca à humilhação, quando a tua gata te dá um enxerto de porrada que te deixa a cara neste estado.

22 de janeiro de 2014

Jornada 14: Check!

Acho que estou quase a recuperar o tempo perdido. Não se pode dizer que uma semana e meia seja tão demorado assim. É certo que sou pago (e bem), para executar estas coisas, mas até por causa disso é que demoro um bocadinho mais. Como é que eu gastava o dinheiro se estivesse sempre a editar?



Mas pegando no que é realmente importante e motivo de estar aqui: O jogo contra o Venda do Pinheiro está já carregado no Meo e no Youtube. Aproveito e peço-vos que subscrevam estes canais. A nossa relação tem tudo para brilhar se o fizerem. A vocês não vos custa nadinha e a mim acaba por me dar algum jeito. Se for preciso eu pago-vos!


Actualização: Vão reparar que o no resumo a jornada está identificada como 15. Está errado. Foi um erro meu quando consultei o calendário. Isso e o sono. Pelo facto peço desculpa e prometo cobrar menos desta vez. 


21 de janeiro de 2014

Vocações


Aquele momento em que pensas para ti mesmo que se calhar teria sido melhor seguir os ensinamentos do teu pai e ter enveredado por carpintaria.

Fonte: Mais Futebol



Dixit



"Nunca é tarde para uma boa golfada de ar. Principalmente a seguir a uma grande apneia."

Manuel Morgado

16 de janeiro de 2014

Feito e Publicado

Agora que fui chamado pelo Jorge para jogar à bola, sinto que não tenho que estar para aqui a perder tempo a explicar-vos coisas. Esse foi o primeiro ensinamento que retirei do Mister. Por isso quero mesmo só dizer que já está nos sítios do costume o jogo dos Infantis de 11 contra o GD Vialonga.

Pronto, está feito. Vou para banhos e massagens.


15 de janeiro de 2014

Carta aberta ao Jorge




Jorge,

Eu até que fico contente por teres falado em mim para substituir o Matique. A sério que fico! Sinceramente já nem contava com isso desde que preferiste o Cortez em vez de mim. Mas assim como assim há umas coisas que acho que seria útil saberes sobre mim antes de me mandares para as feras:

  1. Talvez não saibas, mas eu não falo sérvio, por conseguinte, dificilmente conseguiríamos comunicar. Eventualmente consigo usar algum portenhol para desenrascar;
  2. Já estou com 41 anos de idade. Eu sei que mesmo assim sou uma lebre ao lado do Jardel, mas honestamente correr nunca foi a minha tara;
  3. Sou (fui) Guarda-Redes. Bom, isso talvez ajude a explicar porque preferiste o Cortez para lateral esquerdo. OK, sou canhoto, mas ainda assim continuo a achar que se não sirvo para a esquerda, muito menos servirei para o meio campo;
  4. Se quiseres mesmo contar comigo sou gajo para dar uma boa reforma ao Artur. Aí já não sinto o peso da idade. Só da altura.. e da barriga. Mas prometo-te que sempre que saio grande área afora agarro as bolas.
E acho que não preciso de te dizer mais nada. Depois tu decides, mas pensa lá bem nisso, OK?

Vá. Um abraço para ti e lá para a malta toda no balneário. Pode ser que a gente se veja na sexta-feira.


Resumos dos jogos: Update

Estou com dois jogos em atraso, eu sei. Motivos de vária ordem contribuíram para que tal sucedesse, mas descansem que não vos maço com explicações. Digo apenas que nessas explicações não encontrariam a palavra preguiça.

A única coisa importante a dizer é que vou tentar que ainda durante esta semana publique um deles. Estou na dúvida se pegue no que está mais atrasado ou no último. Por isso tenham apenas um pouco mais de paciência que logo logo haverá novidades.

13 de janeiro de 2014

Os meus clubes em altas



Este fim de semana tive duas excelentes notícias. Quase por acidente fiquei a saber que o clube do bairro que me viu crescer está prestes a reabrir portas. Há muito que a UDCAS (União Desportiva e Cultural de Aldeia do Sobralinho), não goza de boa saúde. De quando em vez lá há um grupo de pessoas que a tentam erguer, mas tal nunca acontece verdadeiramente. Pelo menos não acontece da forma a que estava habituado.

Sei que os tempos são outros e actualmente há menos disponibilidade para este tipo de organizações. A juntar a isso há também menos procura por parte das pessoas. Aquilo que em tempos fizemos e de forma bem sucedida, diga-se, hoje talvez não tivesse a mesma aceitação pelos motivos atrás referidos.

O que me deixa verdadeiramente satisfeito com a novidade é a de saber que será o "meu" presidente a pegar as rédeas da colectividade,  volvidos quase 20 anos. Sei igualmente que se vai fazer rodear por pessoas com o mesmo amor à causa o que é meio caminho andado para que as coisas corram bem.

Se algum dos envolvidos nesta futura direcção for leitor do blogue, deixo aqui uma sugestão: Façam regressar as pessoas ao clube. Façam-no convidando os que já têm saudades dele, mas também aqueles que ainda não o conhecem. O Sobralinho cresceu demograficamente e há muita gente para conquistar. Isso leva-me a lançar outro desafio: Procurem criar coisas novas. Coisas que envolvam a população nas suas diversas faixas etárias.

Como?... Ah, pois. Tinha falado em duas excelentes notícias. A segunda: O Benfica encavou o Porto.

11 de janeiro de 2014

O melhor emprego do mundo é...

Lembram-se desta campanha para recrutar alguém para o intitulado melhor emprego do mundo?


Esqueçam lá isso.
O melhor emprego do mundo é este:


Percebem ou precisam que vos explique?

10 de janeiro de 2014

Dúvida contributiva

Alguém me sabe dizer se os sorteios que o estado se prepara para fazer, por quem pede factura com número de contribuinte, prevêem micro-ondas?

É que me dava jeito um novo.


Bem esgalhada esta

Desta vez estava atento e não me deixo enganar. E o que é giro é que todos os órgãos de imprensa tenham alinhado na mesma coisa. Se não é brutal, então não sei o que quer dizer brutal. Este ano a mentira do 1 de Abril é:

Passos Coelho recandidata-se a Primeiro Ministro.

O que eu já me ri com isto, pá!...

O quê?... Ainda só é 10 de Janeiro?... Mas vocês estão parvos?... Então acham que o gajo era maluco ao ponto de o fazer de novo?... Tenham mas é juízo nessas cabeças!

9 de janeiro de 2014

Como eles crescem!




O rapaz da foto que antecede este texto é o meu filho. É recente e tem por trás uma pequena história daquelas que une pais e filhos. Quem já é progenitor conhece a sensação de cumplicidade que determinadas situações proporcionam, por mais básicas que possam parecer aos olhos dos outros. Nós, para dar uma ideia, temos a nossa noite de gajos. Parece muito viril, mas na maior parte das vezes, resume-se a filmes e pipocas. Afinal de contas o jovem ainda é demasiado jovem para brasileiras e cerveja, para grande desconsolo do pai. No entanto é um ritual. E quando a nossa Camila está, a noite deixa de ser de gajos e dá lugar a... Ao mesmo.

Nessas alturas não me importo de levar com banhadas do Adam Sandler porque, na verdade, o que me dá prazer é a companhia. Volto a puxar de novo os progenitores de adolescentes e pré-adolescentes para a primeira pessoa, pois eles sabem muito bem que há que aproveitar as boas marés dos putos para usufruir da sua companhia. Mas já ando por aqui a divagar com cheirinho a nostalgia (alguém que me traga uma caixa de Kleenex, por favor).

Voltando ao assunto. Na última noite o rapaz resolveu mudar o seu aspecto físico e, resoluto, chegou até mim e pediu:

- Pai, quero fazer o bigode.

(Se isto fosse um video era nesta parte que a música parava por alguns segundos... E recomeçava agora)

Escusado será dizer que larguei o filme que estava a ver e encetei as diligências necessárias para um barbear de primeira. Lâmina! Onde está a lâmina?... E o gel?... Porra pá, porque é que eu nunca uso gel?... O puto não pode ficar com a barba mal feita!

Preparei pó de talco e 5 frascos de after shave. 2 horas depois o resultado foi bastante satisfatório (volto a reportar para a foto do inicio). É que, tal qual estava anteriormente, já resvalava os limites do Raul Meirelismo, como se pode comprovar:




8 de janeiro de 2014

Apelo

A Policia Judiciária solicita o seguinte apelo:

A 4 de Janeiro do corrente desapareceu de sua campa Adalberto de Jesus Barata. O individuo de 142 anos, tem pouca carne, algum osso, não tem cabelo nem vestimenta e também não se lhe conhece outro elemento que o possa descrever. Sabe-se apenas que sofre de perturbações mentais e que terá fugido por achar que ainda estava vivo. Julga-se igualmente que terá sido seguido no mesmo intento pelo seu vizinho de talhão, cujo nome e origem são desconhecidos.

Foto: Público.pt

Ainda assim, a quem souber de informações que possam ser úteis na sua localização, pede-se que entre em contacto com as autoridades.

Obrigado.

6 de janeiro de 2014

Deusébio



Seria inevitável deixar umas quantas linhas sobre o Eusébio. Não porque tenha algo de especial para acrescentar, mas porque tenho o dever de homenagear um dos motivos pelos quais sou do Benfica. Aliás não é redundância nem é abuso querer deixar uma palavra, seja ela qual for e seja de quem for, quando parte alguém que se admira. 

Muita da minha história com o Eusébio foi escrita pelo meu pai. Na altura em que não havia forma de reviver os seus feitos a não ser pela força da palavra, e tendo eu nascido no ocaso da sua carreira, era a eloquência do meu pai que me criava a imagem da grandeza do jogador. Por defeito, quem engrandece alguém de que se gosta tende a exacerbar. Mas quando tive hipótese de ver por mim mesmo as jogadas e os golos constatei que nada do que me contara o meu pai fora exagerado. Ele era mesmo o maior.

Parte um homem que se tornou um  mito ainda em vida e isso não deixa ninguém indiferente. Tenho visto de tudo por essa internet. E as minhas últimas palavras vão agora num outro sentido. Não somos obrigados a gostar de toda a gente. Por conseguinte não somos obrigados a carpir por quem nada nos diz. Mas temos a obrigação de respeitar. Leio coisas nas redes sociais que poucos comentários merecem da minha parte. Não por ser benfiquista, não por gostar de Eusébio, mas por ter a noção do decoro. E aproveito para dizer que repugno essas inscrições como repugnei as das pessoas que esperavam o pior aquando de um episódio de saúde recente do presidente do FC Porto. E se, à maior parte, não passo o mínimo cartão aquelas que são proferidas por pessoas que considero amigas ou pelo menos bons colegas deixam-me triste.

Mas no meio disso encontro coisas que me surpreendem positivamente. Em resposta a uma dessas entradas de mural no facebook de um miudito ressabiado sabe-se lá com o quê, li uma coisa que diz tudo. E o que mais me chama à atenção é o facto de, a julgar pela foto, essa resposta ser proferida por uma jovem do mesmo escalão etário. E está lá tudo em poucas palavras:

A morte é algo que pelos vistos tu ainda não entendes e só se toma duas atitudes: ou se presta homenagem ou se fica em silêncio.

4 de janeiro de 2014

Alivia, Santa Iria!

A publicação deste video foi feita com um atraso tal que até se põe mesmo a jeito para a piada. Sim aquele tipo de piadas que todos os anos nascem como erva daninha por esta altura. Ainda não?... Eh pá aquela de que já passou um ano desde a data até ao produto final! É claro que não tem piada nenhuma e por isso estava a evitar fazê-la.

Ora bem, este é o video do jogo em Santa Iria onde houve um pouco de tudo. Mas não queria levantar muito o pano. Se forem mesmo seguidores dos puros verão que lá para o último terço do vídeo há coisas extra futebol que acabam por dar uma dinâmica diferente à coisa. 

SPOILER ALERT: Envolve muita gente a correr dentro do campo e desta vez não é atrás de uma bola.

No que toca à bola, mais uma vitória suadinha e sofridinha sem necessidade nenhuma, mas guardo análises técnicas para outros entendidos. Desta vez até ponho um screenshot onde aparece o meu filho só para que possam criticar à vontade a falta de isenção da edição. Espero que gostem.



Falta dizer que está no sítio do costume (Meo, canal 807330) e também no Youtube.

3 de janeiro de 2014

Futebol no país do Ski

As notícias desportivas que espaçadamente surgem por terras da Noruega não deixam nunca de me surpreender. Esta de hoje vem no jornal A Bola:

Fonte: A Bola

Para quem não conhece para lá do gelo, dos Vikings e das loiras altas, o Stabaek Fotball é um pequeno clube que, de vez em quando, faz umas pequenas brincadeiras como ir algumas vezes à Taça UEFA e posterior Liga Europa. Na última época andou pela 2ª divisão e tem andado com alguns problemas financeiros como, aliás, vem expresso na peça.

Falo sobre esta notícia porque o Stabaek é a equipa que apoio na Noruega. Os menos ligados ao futebol poderiam achar mais lógico gostar do Rosenborg, mas o que é certo é que desde há muito que torço por estes azuis e sabem que não é muito fácil gostar de algo que tenha azul no equipamento. A razão é simples: A minha filha residia na área e tornei-me um frequentador cíclico do Onkel Blaa (Tio Azul), o bar oficial do clube.

E deixo-vos com esta: Algures numa parede do Onkel Blaa existe um cachecol do SL Benfica. Adivinhem quem lá o colocou.

2 de janeiro de 2014

Ano Novo?

Agora que já estão (quase) todos restabelecidos dos comas e tocados a Gurozans não vos quero iludir: O mundo real voltou e em força. Há que arregaçar as mangas e dar no duro, cada um na sua arte. As frases motivadoras de votos e desejos de grandes sucessos no dobrar dos anos só encontram alguma viabilidade se fizermos a parte que nos compete. É que, tal como nos video jogos, onde somos o protagonista e temos tudo para brilhar, há sempre um antagonista que tudo fará para barrar os nossos intentos. E neste enredo nem sequer houve um cessar fogo. Estava mesmo agora a ver o telejornal e a abertura desse espaço noticioso foi feito com o anúncio de que Pedro Passos, O Coelho, mesmo sem armas lazer ou outros gadgets fulminantes, voltou a fazer das suas. Mais porrada para os pensionistas, que são quem ele mais odeia pelo simples facto de (ainda) estarem vivos.

Desculpem lá se não estou a ser muito animador, mas isto da passagem de um ano para o outro é como diz o Jesus acerca do fair-play: é uma treta. Se esperarmos que as coisas simplesmente aconteçam vamos apodrecer de maduros. Isto aplica-se em tudo e para todos. Eu ando a fazer a parte que me toca para acabar com a pele do meu antagonista. Façam vocês o mesmo.

As minhas resoluções para 2014 ficam guardadas para mim.

Esta é a minha mensagem de Ano Novo.