9 de outubro de 2013

Olha quem cá está!

Tenho uma amiga, e antiga colega de trabalho, que conta com um rol de histórias boas de serem ouvidas. Há tempos cheguei mesmo a desafiá-la para que as ponha por escrito num blogue, por exemplo. A ideia ficou em "Banho Maria" e talvez um dia possa vir a ganhar forma de letra. De entre os insólitos que já me foram relatados, há um que acho tão delicioso que seria impossível guardá-lo só de memória. Sei que ela não me leva a mal de o querer partilhar convosco.
A acção passa-se numa capital europeia de grande riqueza histórica e arquitectónica. Essa minha amiga estava por lá na companhia dos seus pais. Num passeio pelos destinos locais mais badalados, a minha amiga prende-se numa conversa com alguém. Ora estando ela a milhares de quilómetros de casa, quais seriam as probabilidades de se cruzar com alguém que a conhecesse?
Terá sido, hipoteticamente, a ordem de raciocínio da sua progenitora. Digo que será hipotético porque não conheço a versão da história pelo lado materno. Faço apenas a minha interpretação com base naquilo que foi dito pela mãe e que me leva a escrever acerca disso. Vendo a filha. a alguma distância, a falar com alguém, a senhora terá dito o que se segue ao seu marido:

- A nossa filha está ali a falar com uma pessoa. Se calhar é alguém de Caneças!

A pessoa, supostamente de Caneças com quem a minha amiga falava, era a da foto que se segue:


Colin Firth


Não acredito que seja de Caneças, mas presumo que já o tenham visto por aí, não?

Sem comentários:

Enviar um comentário

A bem da nação, o teu comentário fica a aguardar moderação do Lápis Azul.