28 de outubro de 2013

... E pouco barulho!

A notícia é de ontem e não podia estar mais fresca. Sabe-se agora quais os cortes a aplicar nos ordenados da função pública para o próximo ano. Há aquela particularidade de nem serem os escalões de recebimentos mais elevados os mais afectados. E há ainda a registar de alguns desses cortes chegarem aos três dígitos percentuais e muito bem puxadinhos.



Não quero perder tempo, o meu e o vosso, com análises mais profundas. Apenas quero dizer-vos que dá mesmo vontade de brincar ao gregos e partir a loiça toda. Dá ideia de que esta malta vai esticando a corda porque nos acha a todos uns mansos. E até é verdade! Nós somos uns mansos! E se isso sempre foi uma das nossas melhores características enquanto cartão de visita de um povo, agora já não sei se será tão bom assim.

Uma última nota: No inicio do ano fomos bombardeados com incentivos em jeito de ameaças no campo da evasão fiscal. Todos temos fresco na cabeça o "incentivo" para que se peçam facturas, sob pena de sermos multados em caso inverso. Eu por mim digo que estou de acordo quanto à economia paralela. Eu defendo que se combata a economia que não ajuda ninguém e só prejudica o país. Por isso advogo a seguinte medida:

Deixemos de pagar impostos. 

Não sustentemos vícios destes sicilianos que nos governam, fazendo-se passar por empresários do sector de recolha do lixo. Já vi disto em filmes e séries. E quando já não lhes conseguirmos dar mais dinheiro, porque já o não temos, acabarão por nos matar à porrada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A bem da nação, o teu comentário fica a aguardar moderação do Lápis Azul.