30 de junho de 2014

Tire partido do seu Facebook

O assunto não é Bloggeriano e sim Facebookiano, mas até que me dá um bom motivo para debitar por aqui uma boa dose de letras. Por isso apertem os cintos de segurança e deixem-se levar por mim nesta viagem.

Caros amigos, eu compreendo que sendo eu um gajo descomprometido e sem apetite especial por mudar essa situação, nutram por mim um certo sentimento de paternalismo e que tentem fazer de tudo para que essa condição se altere. Como não sou gajo de ficar indiferente aos que me querem bem, resolvi dar-vos uma quantas dicas que facilitem a vossa vida no futuro e se aproximem mais daquilo que possam ser as minhas eventuais necessidades.

Dito isto, passemos à questão prática: Sempre que queiram ver-me alegre e a dar mais do que 2 linhas de conversa a alguém criem um perfil de Facebook que me atraia verdadeiramente. Eu percebo a ideia de colocarem umas fotos de uma rapariga com um certo de ar de estar a jogar na minha liga (isto se acharem que eu tenho apetites por mulheres ligeiramente anafadas), mas que ainda assim pode ter um ar apetecível. Mas desencorajo-os desde já. Se querem prender a minha atenção terão de ser um pouco mais rigorosos com os padrões e com determinados detalhes.

Façam assim:

  • Nunca criem um perfil e no minuto a seguir façam um pedido de amizade. Fica algo suspeito, portanto esperem o tempo suficiente para que tenha credibilidade;
  • Carreguem conteúdo credível ou que o aparente ser. Quatro fotos e nenhuma informação não se enquadra no que acabei de referir;
  • Também não metam logo conversa "à bruta" com um tipo vinda assim do éter. Um rapaz com dois dedos de testa despista-vos em três tempos apenas com frases de menos de seis palavras;
  • E por fim o mais importante: ao menos que encarnem um personagem que seja atractivo. Não se aceita menos que uma Irina. A pessoa continua a saber que é da treta, mas pelo menos distrai-se.


Espero com isto ter contribuído para que no futuro façam de mim um homem feliz. Ah outra dica: façam-me rir que eu gosto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A bem da nação, o teu comentário fica a aguardar moderação do Lápis Azul.